Dos jovens aos maduros: o boom do rejuvenescimento facial

Procedimentos cada vez mais populares despertam a curiosidade nos brasileiros

Procedimentos cada vez mais populares despertam a curiosidade nos brasileiros

Beleza é algo que ninguém discute, certo? Errado! Quando o assunto é auto estima, nos dias de hoje não se fala em outra coisa a não ser procedimentos estéticos que aliviam as marcas do tempo em nossa pele.

Dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) revelam que, a busca por uma aparência mais jovem aumentou a procura por procedimentos não invasivos em quase 400%. E, registrando mais de 2 milhões de procedimentos estéticos ao ano, o Brasil se coloca como o segundo no ranking de países que mais consomem este tipo de serviço no mundo, de acordo com estudo da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética (ISAPS).

Neste quesito, um dos mais conhecidos é o preenchimento com ácido hialurônico, o queridinho dos famosos.

O ácido é uma substância já presente no nosso organismo. Uma molécula que atrai a água, atuando como um lubrificante em partes móveis do corpo, como as articulações, possuindo além de tudo, propriedades hidratantes e estimulantes de colágeno.

Mesmo sendo originado no organismo humano, com o passar dos anos, sua produção diminui de forma gradativa.

O envelhecimento da pele se dá no momento em que há sulcos de expressão, que surgem por conta da repetição de determinados movimentos faciais (como frangir a testa e fazer caretas), que com o passar do tempo aparecem pelo afrouxamento da musculatura.

Onde posso aplicar?

São as mais diversas áreas, onde se pode aplicar a substância. A depender do caso, nos mais jovens, as primeiras reclamações são relacionadas a olheira, nariz um pouco maior e sem formato, bigode chinês e mandíbula sem definição.

De acordo com o Dr. Fabio Barros, o procedimento não é nada invasivo e em poucos minutos o paciente sai satisfeito do consultório.

“importante é esconder o que não agrada e realçar o que já é bonito”, ressalta o Dr, que é especialista em Harmonização Orofacial.

Se o ponto de reclamação dos jovens é uma melhor estética, reparando alguns pontos de insatisfação e definição nos traços faciais, nas pessoas que já passaram dos 40 as queixas são comumente relacionadas ao envelhecimento da pele, assim como a falta de elasticidade e contorno da mandíbula.

Botox ou preenchimento?

Para muitos, os procedimentos possuem o mesmo resultado final. Mas não! Podem ser aliados quando o assunto é ficar com o rosto jovem e sem as temidas marcas de expressão.

A toxina botulínica ou o famoso Botox, é utilizado para impedir a contração muscular. Ou seja: você vai poder sorrir, sem que a marca de expressão apareça.
Já o preenchimento, é utilizado para introduzir enchimento a lugares em que não se há volume, seja pela perda natural de gordura ou irregularidade.

O colágeno é o verdadeiro responsável pela sustentação dos tecidos da face, que vão sendo perdidos ao longo do tempo. Para combater este mal, existem os bioestimuladores, que atuam na neoformação de colágeno, fazendo que haja o retorno do tônus e sustentação facial.

Fabio adverte que quanto antes trabalhar a prevenção do envelhecimento, mais se prolonga o envelhecimento do tecido.

“O tratamento pode ser incidido a partir dos 25 anos, pois é quando começa a perda de colágeno. Neste momento já recomendamos o uso de bioestimuladores, por quem deseja manter a pele sempre vibrante e sadia, e claro com um bom aspecto”.